O ministro da Educação do Japão, Koichi Hagiuda, disse que o governo não estenderá o período de fechamento das escolas para depois das férias de primavera e que as aulas devem ser retomadas no início do ano letivo em abril.

O primeiro-ministro Shinzo Abe pediu a suspensão das aulas em todas as escolas do país (shougakkou, chuugakkou e koukou) a partir de 2 de março para tentar conter a proliferação do novo coronavírus.

“Quanto ao fechamento geral das escolas até as férias de primavera que o governo solicitou, concordamos em não prorrogá-lo”, disse Hagiuda a repórteres, depois que uma força-tarefa ministerial se reuniu para discutir medidas para combater a propagação do vírus.

CRÍTICAS

Em partes, a suspensão das aulas foi criticada porque essa medida fez com que muitas crianças cujos pais trabalham fora ficassem em clubes infantis, aumentando o risco de contágio.

Na reunião da força-tarefa, Abe disse que os organizadores de grandes eventos precisam permanecer cautelosos ao promover aglomerações, citando a opinião de especialistas.

Na quinta-feira, um painel de especialistas que orienta a resposta do governo ao coronavírus disse que a aglomeração de pessoas, principalmente em ambientes fechados, deve ser evitada.

NÚMEROS

Os casos de infecção por coronavírus no Japão chegaram a 1.063, sem contar os 721 passageiros e tripulantes do navio de cruzeiro Diamond Princess que testaram positivo. O número de mortes é de 41 até agora, além de oito do navio.

Fonte | Reuters