O primeiro-ministro Shinzo Abe disse nesta quarta-feira que seu governo considerará fornecer 100.000 ienes em dinheiro por pessoa sem estabelecer um limite de renda, em resposta ao surto de coronavírus.

Em uma reunião no Gabinete do Primeiro-Ministro, o líder do Komeito, Natsuo Yamaguchi (foto), disse a Abe que o governo deveria distribuir tais benefícios como uma medida adicional para fortalecer a economia atingida pela propagação do coronavírus. Komeito é o parceiro de coalizão júnior do Partido Liberal Democrata de Abe.

Abe respondeu que tal passo será considerado após a promulgação de um orçamento suplementar para o exercício de 2020.

Após a reunião, Yamaguchi disse a repórteres que a declaração do governo de estado de emergência em Tóquio e outras áreas sobre a crise do COVID-19 na semana passada deixou “um impacto extenso e profundo” na sociedade e na economia.

O governo “deve entregar uma mensagem de encorajamento e solidariedade ao povo”, ressaltou. Ele disse que encorajou Abe a tomar uma decisão. “É do meu entendimento que ele aceitou (meu pedido) de forma positiva”, acrescentou.

Para o pacote de estímulo econômico emergencial do governo adotado recentemente, Komeito propôs uma distribuição de dinheiro de 100.000 ienes por pessoa para aqueles que sofreram uma queda de renda devido ao surto.

O governo incluiu no pacote a distribuição de 300.000 ienes em dinheiro para famílias cujas rendas caíram acentuadamente. Mas a medida atraiu críticas tanto dos partidos governistas quanto da oposição por seus rigorosos requisitos de elegibilidade.

Na terça-feira, o secretário-geral do LDP, Toshihiro Nikai, disse que pedirá ao governo que considere uma distribuição em dinheiro de 100.000 ienes por cabeça para aqueles cujas rendas estão abaixo de um certo nível.

Fonte | Jiji Press