Oitenta municípios japoneses relataram que as máscaras de tecido entregues pelo governo, como medida contra a escassez em decorrência do coronavírus, apresentavam defeitos na costura ou estavam sujas. O problema foi relatado ao Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão na sexta-feira (17).

A distribuição de máscaras para gestantes começou no dia 14 deste mês, com a distribuição de 500 mil máscaras para os municípios de todo o país, antes da distribuição para todos os domicílios (cerca de 50 milhões de residências). Cada família deverá receber duas unidades, conforme proposta do governo.

No entanto, de acordo com o Ministério da Saúde, na noite do dia 17, 80 municípios relataram que cerca de 2.000 máscaras de tecido que haviam chegado estavam “sujas” ou “contendo cabelo e poeira”.

As máscaras de pano são encomendadas para diversos fabricantes, e o governo garantiu que os produtos defeituosos serão substituídos. A partir dessa sexta-feira (17) o envio às demais famílias no país começou a ser feito pelos correios.

Um responsável governamental disse esta quinta-feira que cada máscara custa cerca de 200 ienes (1,70 euros), o que significa que a promessa pode custar 40 mil milhões de ienes (340 milhões de euros), sem contar com os custos de distribuição.

Fonte | NHK
Foto | Getty Images