Setenta e oito salões de pachinko, administrados por três empresas, deverão fechar as portas a partir deste sábado (25) em toda a província de Shizuoka. A decisão foi tomada após pedido do governador Heita Kawakatsu, com base na nova lei de medidas especiais de para o combate ao coronavírus.

De acordo com a declaração de emergência, válida até 6 de maio, o governo japonês pediu às pessoas que evitem passeios não essenciais e que algumas empresas fechem.

Embora a declaração não dê aos governos das prefeituras o poder legal de forçar o cumprimento, eles podem nomear publicamente empresas, para envergonhá-las por não serem socialmente responsáveis ​​em meio à crise.

Nos termos do artigo 45 da lei, as autoridades podem tornar públicos os nomes dos operadores comerciais que se recusam a atender aos pedidos.

AS EMPRESAS

Três empresas decidiram fechar o negócio: Shin Nihon (Fujieda), que opera 30 lojas, a Concorde, que possui 11 lojas, e 7 Dynam.  “Colocamos a segurança do cliente e do funcionário em primeiro lugar”.

A ABC fechou todas as 29 lojas desde o dia 18 devido à expansão nacional da declaração de emergência. A Maruhan, que tem 27 lojas, decidiu fechar uma das lojas na cidade de Kosai, e o restante está “em discussão”.

OSAKA ‘ENVERGONHA’ SALÕES QUE NÃO VÃO FECHAR

osaka - 78 salões de pachinko decidiram fechar em Shizuoka durante feriado
O governador de Osaka, Hirofumi Yoshimura, divulgou na sexta-feira os nomes dos salões de pachinko que não seguiram o pedido de desligamento (KYODO)


O governo da província de Osaka divulgou os nomes de seis salões de pachinko que desafiam seu pedido de fechamento, o primeiro movimento desse tipo sob a declaração de emergência do Japão a conter coronavírus.

Osaka disse que pode nomear outros 28 salões de pachinko na prefeitura já na próxima semana.

“Gostaria que o povo de Osaka cooperasse na prevenção da propagação do vírus, não indo a esses salões de pachinko”, disse o governador Hirofumi Yoshimura a repórteres.

NÚMEROS
As vendas totais da indústria chegaram a cerca de 20,7 trilhões de ienes em 2018, de acordo com um site operado pela Daikoku Denko Co. usando dados do Japan Productivity Center.