O Japão tomou medidas neste sábado (2) para acelerar a aprovação do do antiviral Remdesivir para o tratamento de novos pacientes com coronavírus, já que o número de mortos no país superou 500, incluindo casos de um navio de cruzeiro.

O governo revisou uma ordem do gabinete para simplificar drasticamente as etapas para autorizar medicamentos para o Covid-19, desde que essas drogas tenham sido aprovadas nos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Canadá, Alemanha e França.

A decisão do governo japonês ocorreu depois que a Administração de Medicamentos e Alimentos dos EUA disse na sexta-feira (1) que autorizou o uso emergencial do Remdesivir para aqueles hospitalizados com doenças graves causadas pelo vírus.

O ministro da Saúde, Katsunobu Kato (foto), disse a repórteres neste sábado que ordenou às autoridades do governo dar luz verde a um pedido da empresa americana Gilead Sciences Inc., desenvolvedora do Remdesivir, para aprovação em “cerca de uma semana”.

Kato acrescentou que a empresa deve solicitar uma autorização no Japão “nos próximos dias”. Se aprovado, será o primeiro tratamento reconhecido por coronavírus no país.

remdesivir - Japão prepara aprovação antecipada do Remdesivir para tratamento de Covid-19
Até o momento, o Japão confirmou mais de 15.000 casos da doença

O MEDICAMENTO

O remdesivir foi desenvolvido pela Gilead Sciences como um possível tratamento para o ebola, mas não foi licenciado ou aprovado em nenhum lugar do mundo. Temem-se efeitos colaterais como deterioração das funções hepáticas e renais.

Ao anunciar o uso de emergência, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA disse em comunicado: “Embora haja informações limitadas conhecidas sobre a segurança e eficácia do uso do Remdesivir para tratar pessoas no hospital com Covid-19, o medicamento sob investigação foi mostrado em um ensaio clínico para reduzir o tempo de recuperação em alguns pacientes”.

Estão sendo realizados ensaios clínicos para confirmar a eficácia e a segurança de seu uso em pacientes com coronavírus em todo o mundo, incluindo o Japão.

EM QUEM SERÁ APLICADO?

Sob a autorização de uso de emergência dos EUA, o medicamento será administrado por via intravenosa em pacientes com baixos níveis de oxigênio no sangue, bem como naqueles que necessitam de oxigenoterapia ou suporte respiratório mais intensivo, como um ventilador mecânico.

De acordo com um estudo recentemente publicado pelo New England Journal of Medicine, o medicamento demonstrou eficácia em quase 70% dos 53 pacientes com coronavírus com sintomas graves, enquanto causou efeitos colaterais graves, como deterioração das funções renais e hepáticas, em um quarto da população.

Os movimentos para desenvolver medicamentos e vacinas terapêuticas vêm se acelerando em todo o mundo. No Japão, o medicamento anti-influenza Avigan também está passando por testes clínicos em pacientes com Covid-19, que durarão até junho. Um estudo científico na China mostrou sua eficácia no tratamento da doença.


Fonte | Kyodo
Foto | Kyodo/Divulgação