O Japão permitirá a reabertura de parques, museus, bibliotecas e algumas outras instalações públicas, mesmo em áreas com um número relativamente alto de infecções por coronavírus, segundo declaração do ministro da Economia, Yasutoshi Nishimura, em coletiva de imprensa realizada neste domingo (3).

Nishimura disse que o governo permitirá que essas instalações sejam reiniciadas se medidas suficientes para impedir a propagação do vírus forem implementadas. Um conjunto de diretrizes sobre como retomar as atividades sociais será mostrado nesta segunda-feira (4), quando o Japão o governo estenderá oficialmente o estado de emergência por mais um mês.

A reabertura planejada de instalações públicas será permitida em Tóquio, Osaka, Kyoto, Hokkaido, Fukuoka e oito outras prefeituras que o governo destacou por tomar medidas intensivas contra o vírus, de acordo com o ministro.

Quando se encontrou com a imprensa, Nishimura também disse que o governo está pensando em usar a Regional Economy Vitalization Corp do Japão, um fundo de investimento público-privado, para apoiar financeiramente empresas de médio porte em áreas não urbanas.

ESTADO DE EMERGÊNCIA

Nesta segunda-feira, o governo japonês planeja divulgar metas numéricas a serem atingidas durante o prolongamento do estado de emergência até 31 de maio.

Um painel do governo recomendou que os pedidos fossem mantidos por um tempo, já que o número de infecções não diminuiu acentuadamente desde que o estado inicial de emergência foi declarado pelo primeiro-ministro Shinzo Abe em 7 de abril para Tóquio, Osaka e cinco outras prefeituras.

A disseminação do novo coronavírus que já infectou 15.589 pessoas e matou 530 no país.

Foto | AFP