A economia do Japão no período de janeiro a março encolheu 3,4% reais anualizados em relação ao trimestre anterior, registrando uma contração significativa pelo segundo período consecutivo devido à pandemia global de coronavírus, mostraram dados do governo na segunda-feira (18).

Os dados mais recentes sobre o produto interno bruto, o valor total de bens e serviços produzidos no país, correspondem a uma queda de 0,9% em uma base trimestral ajustada sazonalmente, levando a terceira maior economia do mundo a uma recessão técnica, definida como pelo menos dois trimestres consecutivos de PIB (Produto Interno Bruto) negativo.

O resultado foi melhor do que a previsão média de uma contração real anualizada de 5,0% feita por economistas do setor privado consultados pela Kyodo News.

Fontes do governo preveem que o PIB no período de abril a junho será “muito pior” do que os números de janeiro a março, dizendo que a atual situação econômica é “a maior crise” no período pós-Segunda Guerra Mundial.

blank

DECLÍNIO

A leitura preliminar do PIB ajustado pela inflação seguiu um resultado negativo de 7,3% em outubro-dezembro de 2019, a queda mais acentuada em mais de cinco anos devido a um aumento dos impostos sobre o consumo de 8% para 10% em 1º de outubro e um tufão devastador, segundo o governo.

O declínio do PIB no período de outubro a dezembro foi o mais acentuado desde uma queda de 7,5% no trimestre de abril a junho de 2014, após o aumento anterior do imposto sobre o consumo de 5% para 8% em 1º de abril daquele ano.

No mês de referência, o consumo privado, que representa cerca de 60% da economia japonesa, caiu 0,7% em relação ao período de três meses anterior, com gastos em viagens e consumo de alimentos especialmente atingidos, pois as pessoas eram solicitadas a ficar em casa para diminuir a velocidade do processo de disseminação do coronavírus.

As despesas de capital privado, outro pilar fundamental da demanda doméstica e o investimento residencial privado, caíram 0,5% e 4,5%, respectivamente.

EXPORTAÇÕES

O coronavírus pesava bastante na demanda no exterior, levando a uma queda de 6,0% nas exportações de bens e serviços do país. Carros e autopeças tiveram declínios significativos, e os gastos de turistas estrangeiros, o que ajuda a aumentar as exportações, foram atenuados devido a um declínio acentuado no número de visitantes.

As importações caíram 4,9%, com as da China fortemente impactadas. A queda também aparentemente refletiu uma queda nos preços das importações de energia. Em termos nominais, ou não ajustados pelas variações de preços, a economia do Japão contraiu 3,1% e 0,8% anualizado no trimestre.

No período fiscal de 2019 a março, a economia japonesa caiu 0,1% em termos reais, registrando a primeira contração desde o ano fiscal de 2014. O governo deve publicar os dados revisados ​​do PIB de janeiro a março em 8 de junho.

Fonte | Kyodo
Foto | Bloomberg