O Japão começará a testar 10.000 pessoas em Tóquio, Osaka e a prefeitura de Miyagi, para detectar anticorpos contra o coronavírus a partir do início de junho, como parte dos esforços para entender melhor sua disseminação, disse o ministro da Saúde Katsunobu Kato nesta sexta-feira (22).

As autoridades esperam compreender o número aproximado de pessoas nas áreas que foram infectadas pelo vírus, incluindo aquelas que não apresentaram nenhum sintoma, além de obter uma perspectiva para o número de infecções, caso haja um ressurgimento.

Os resultados também ajudarão as autoridades a estimar quantas pessoas precisarão de vacinação. “Vamos confirmar quanta imunidade a comunidade inteira adquiriu e utilizar os dados para impedir que o vírus se espalhe no futuro”, disse Kato em entrevista coletiva.

TRÊS PREFEITURAS

O governo escolheu as três prefeituras, já que Tóquio e Osaka têm altas taxas de infecções confirmadas, medidas no número de pessoas que testam positivo por 100.000 pessoas, enquanto Miyagi tem uma taxa relativamente baixa.

Os exames de sangue, que procuram proteínas específicas produzidas pelo sistema imunológico em resposta à infecção, serão realizados em cerca de 3.000 adultos selecionados aleatoriamente em cada uma das três regiões que consentem em participar.

As autoridades locais realizarão os testes e enviarão amostras de sangue ao governo central para análise. O Estado deixará aos municípios informar os examinados sobre os resultados.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar planeja usar vários métodos para encontrar anticorpos e descobrir a quantidade de anticorpos nas amostras, disseram funcionários do ministério.

Normalmente, leva de uma a três semanas para o desenvolvimento de anticorpos depois que alguém é infectado pelo vírus que causa a doença respiratória do COVID-19, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças.

Fonte | Kyodo
Foto | Misha Friedman