Três megabancos japoneses e provedores de pagamento sem dinheiro planejam montar um consórcio este mês, numa tentativa de otimizar e interoperar seus serviços.

Um projeto que pode evoluir para a introdução do “iene digital” previsto pelo Banco do Japão (BOJ), segundo divulgação da agência Kyodo.

Enquanto vários serviços de pagamento sem dinheiro, como cartões IC emitidos por operadoras ferroviárias e aplicativos para smartphones, estão amplamente disponíveis no Japão, os participantes devem estudar medidas para aprimorar seus serviços e torná-los mais convenientes para os clientes.

Eles também estão estudando a possibilidade de facilitar a introdução do iene digital, para o qual o BOJ iniciou estudos de viabilidade com o Banco Central Europeu e outros bancos centrais.

O consórcio incluirá a Mitsubishi UFJ Financial Group Inc., a Mizuho Financial Group Inc., a Sumitomo Mitsui Financial Group Inc., a East Japan Railway Co., emissora do cartão de passageiro Suica IC, que também é usado para pagamento sem dinheiro, e o serviço de telefonia móvel KDDI Corp.

O BOJ, a Agência de Serviços Financeiros e o Ministério da Economia, Comércio e Indústria participarão como observadores, segundo as fontes.

O consórcio planeja elaborar propostas no outono e apresentá-las ao governo e ao BOJ até o final do ano.

CONCORRÊNCIA

A iniciativa de estabelecer um iene digital é motivada pelas ameaças emergentes de projetos de moedas digitais como o yuan digital da China e a Libra do Facebook. Os dois projetos foram referenciados por várias jurisdições em todo o mundo.

Taro Aso, vice-primeiro ministro do Japão, afirmou, em janeiro, que o surgimento do yuan digital como um meio de acordo internacional apresentaria um “problema muito sério” para Tóquio. Isso se dá porque o Japão firma transações predominantemente em dólares americanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui