O presidente-executivo da Nissan, Makoto Uchida, disse aos acionistas na segunda-feira (29) que está desistindo da metade de seu salário depois que a montadora japonesa afundou no vermelho em meio às vendas em queda e ao fechamento de fábricas na Espanha e Indonésia.

Uchida pediu desculpas pelos fracos resultados e prometeu uma recuperação até 2023, impulsionada por cortes de custos e novos modelos que mostram a tecnologia de direção e carros elétricos.

“Vamos enfrentar esses desafios sem compromisso”, disse ele em uma reunião transmitida ao vivo. “Prometo trazer a Nissan de volta a uma pista de crescimento”.

NIssan - Sob críticas, presidente da Nissan corta próprio salário e se desculpa por 2020
O chefe executivo da Nissan, Makoto Uchida, no centro, fala durante uma assembléia de acionistas em Yokohama na segunda-feira. Foto: Nissan Motor Co

Todas as montadoras do mundo tiveram suas vendas afetadas por causa da pandemia de coronavírus. Mas os problemas são especialmente graves para a Nissan Motor.

A empresa ainda luta para salvar sua reputação após o escândalo de má conduta financeira de seu ex-executivo Carlos Ghosh.

PERDAS

A Nissan, com sede em Yokohama, no Japão, afundou em sua primeira perda anual em 11 anos, registrando uma perda de 671,2 bilhões de ienes (US $ 6,3 bilhões) no ano fiscal encerrado em março.

Segundo apurações da agência Associated Press, um acionista irritado levantou-se e disse que os executivos deveriam desistir de mais de seus salários, já que os investidores estavam recebendo zero dividendos.

Outro disse que a Nissan precisava fazer mais para fortalecer sua governança, argumentando que as coisas estão piorando desde a saída de Ghosn, que foi preso no final de 2018.

Ghosn foi julgado em Tóquio por acusações de subnotificação de compensações futuras e quebra de confiança quando fugiu para o Líbano no final de 2019. Ele diz que é inocente.

REDUÇÕES

Uchida delineou novamente a estratégia da Nissan para se concentrar em três grandes mercados globais, Japão, China e América do Norte, incluindo o México, e contando com parceiros de aliança para outros mercados.

A empresa também planeja reduzir o número de modelos que oferece.

O presidente-executivo reiterou que a Nissan quer fechar a fábrica de Barcelona, ​​mas disse que as negociações estão em andamento.

Um acionista recebeu aplausos da multidão quando disse que a Nissan não tem uma visão atraente em comparação com a rival japonesa Toyota Motor Corp., que está desenvolvendo agressivamente a tecnologia ecológica, e a Honda Motor Co., com robôs e jatos em sua linha.

Fonte | Associated Press
Foto | Eugene Hoshiko/AP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui