Sessenta e um fuzileiros navais dos EUA em duas bases em Okinawa, no Japão, foram confirmados como infectados pelo coronavírus, divulgou o governo da província no sábado, exigindo uma explicação adequada das forças armadas americanas.

O governador Denny Tamaki disse que os surtos ocorreram na Estação Aérea de Corpo de Fuzileiros Navais de Futenma (em Ginowan) e em Camp Hansen. Ambas as bases foram bloqueadas.

O tenente-general Stacy Clardy, comandante da III Força Expedicionária Marinha e chefe das forças americanas em Okinawa, explicou a situação das infecções nas instalações militares a Tamaki por telefone, informou a agência Kyodo.

“Os okinawanos estão chocados com o que nos disseram (pelas forças armadas dos EUA)”, disse Tamaki em entrevista coletiva. “Agora temos fortes dúvidas de que os militares dos EUA tenham tomado medidas adequadas de prevenção de doenças”.

Tamaki acrescentou que alguns militares americanos realizaram festas nas áreas centrais e praias em torno de 4 de julho para comemorar o Dia da Independência, informou Kyodo.

O governador também exigiu transparência sobre o surto na corporação, pedindo que o governo japonês exija dos EUA mais detalhes sobre os casos. Oficiais de Okinawa fizeram pedidos semelhantes aos militares dos EUA na sexta-feira para tratar das preocupações dos moradores locais, disse Tamaki.

O OUTRO LADO

Os fuzileiros americanos disseram em um comunicado divulgado na sexta-feira que as tropas estavam tomando medidas de proteção adicionais para limitar a propagação do coronavírus e restringindo atividades fora da base.

A declaração dizia que as medidas são “para proteger nossas forças, nossas famílias e a comunidade local”, sem fornecer detalhes sobre as infecções.

Os fuzileiros não responderam imediatamente no sábado a uma investigação da Associated Press sobre o último surto.

Diversos protestos já ocorreram para a retirada das tropas americanas de Okinawa Foto Toru Tamanaka - 61 fuzileiros navais dos EUA em Okinawa estão infectados com coronavírus
Diversos protestos já ocorreram para a retirada das tropas americanas de Okinawa Foto Toru Tamanaka

CONVIVÊNCIA FORÇADA

Okinawa é o lar de mais da metade das cerca de 50.000 tropas americanas baseadas no Japão sob um pacto de segurança bilateral, e os moradores são sensíveis aos problemas relacionados à base dos EUA.

Muitos okinawanos há muito reclamam de poluição, ruído e crime relacionados às bases americanas.

Os okinawanos também se opõem a uma realocação planejada da base aérea de Futenma do local atual em uma área densamente povoada no sul para uma área menos povoada na costa leste.

A mídia local informou que a assembléia de Okinawa adotou uma resolução na sexta-feira protestando contra a falta de transparência das forças armadas dos EUA sobre seu surto na base.

Okinawa tem cerca de 150 casos do coronavírus. Ao todo, o Japão tem cerca de 21.000 casos e 1.000 mortes, com Tóquio relatando mais de 200 novos casos pelo terceiro dia consecutivo no sábado.

Fonte | Kyodo
Foto | Yoshikazu Tsuno

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 − 2 =