Após casos de saques indevidos de dinheiro no Japão, a NTT Docomo Inc. anunciou que a partir desta quinta-feira (10) não permitirá que os clientes vinculem seu serviço de dinheiro eletrônico a suas contas em 35 bancos com os quais tem parceria.

A medida entra em vigor, quando pelo menos oito dos 35 credores, como o Japan Post Bank, o Aeon Bank e bancos regionais, foram atingidos pelo golpe.

Não está claro como essas informações confidenciais foram roubadas e quanto foi retirado, estima-se que seja algo em torno de 12 milhões de ienes.

A NTT Docomo, a maior operadora de telefonia móvel do país, vai considerar a possibilidade de tornar o processo de confirmação de identidade mais rígido antes que o dinheiro seja retirado.

O Japan Post Bank disse que vai impedir que os clientes façam novos registros ou mudem de conta bancária para usar o serviço de dinheiro eletrônico da NTT Docomo por um tempo.

Ao vincular suas contas bancárias, os usuários do serviço NTT Docomo podem pagar as compras e transferir dinheiro, entre outras funções. Na recente série de casos, terceiros supostamente roubaram e usaram números de contas bancárias e senhas para abrir contas para o serviço de e-money da NTT Docomo e moveram dinheiro das contas bancárias das vítimas.

Os usuários do e-money podem escolher entre 35 bancos, mas a forma como realizam a confirmação de identidade é diferente.

Mas nenhum banco disse que suas redes de sistema foram comprometidas, aumentando a possibilidade de que emails de phishing (utilizados para roubo de identidades oline) tenham sido usados.

Um máximo de 100.000 ienes pode ser enviado, ou “cobrado” de uma vez e até 300.000 ienes por mês, de acordo com a NTT Docomo.

O Banco 77 na província de Miyagi, no nordeste do Japão, relatou um caso à polícia local em 4 de setembro. O Banco Toho e o Banco Chugoku também fizeram o mesmo com a polícia nas prefeituras de Fukushima e Okayama, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × três =