O operador japonês de um navio cargueiro que vazou combustível na costa das Ilhas Maurício prometeu nesta sexta-feira (11) que irá pagar US$ 9,4 milhões para ajudar a restaurar as áreas afetadas pelo vazamento.

Um navio cargueiro japonês atingiu um recife de coral no último dia 25 de julho, derramando cerca de mil toneladas de óleo combustível e provocando um estado de “emergência ambiental”, que alguns cientistas chamam de o pior desastre ecológico do país.

A Mitsui OSK Lines disse em um comunicado que planeja “contribuir com um fundo total de cerca de um bilhão de ienes japoneses ao longo de vários anos para apoiar medidas” para restaurar o ambiente marinho.

As medidas incluem a execução de projetos de proteção de manguezais e corais em parceria com especialistas e ONGs locais, e a criação de um fundo de recuperação ambiental, informou.

MIL LITROS DE ÓLEO

csm Navio naufragado Ilhas Mauricio Foto Reproducao Twitter @PKJugnauth cebae86548 - Empresa japonesa vai gastar 9,4 milhões de dólares na limpeza das Ilhas Maurício
Foto Reprodução Twitter @PKJugnauth

A empresa opera o MV Wakashio, que na ocasião do derramamento transportava 4.000 toneladas de combustível.

Depois que o barco se partiu em dois, o pedaço maior foi rebocado para o mar e afundado, mas a seção menor permanece encalhada no recife.

Acredita-se que mais de 1.000 toneladas de óleo tenham vazado do navio, com o resto sendo drenado antes de derramar. O óleo afetou áreas de mangue que são difíceis de limpar.

Tanto o operador quanto o proprietário do navio, a Nagashiki Shipping, se desculparam pelo vazamento. Nagashiki no mês passado se comprometeu a responder “sinceramente” aos pedidos de indenização.

Não ficou imediatamente claro se os fundos prometidos pela Mitsui atenderiam às demandas do governo de Maurício por compensação das empresas por “todas as perdas e danos” causados ​​pelo derramamento e custos de limpeza.

O ministro das Relações Exteriores do Japão, Toshimitsu Motegi, disse na semana passada que o país continuaria apoiando os esforços de recuperação.

O jornal Kyodo News do Japão disse no mês passado que a tripulação do navio o havia conduzido perto da costa porque queriam encontrar um sinal de celular para que pudessem entrar em contato com a família e perguntar sobre a situação do coronavírus em casa.

Ele citou uma fonte judicial não identificada, que também disse que uma festa de aniversário movida a álcool foi realizada a bordo antes do acidente, embora não esteja claro se a tripulação de plantão participou.

Fonte | AFP
Foto | Gwendoline Defente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × quatro =