Todos os lares e empresas com televisão poderão ser legalmente obrigados a pagar taxas de recepção à emissora pública NHK. O Ministério das Comunicações do Japão apresentou a proposta a um comitê de especialistas na sexta-feira (16).

O pedido do ministério deve gerar oposição, já que alteraria fundamentalmente o atual sistema de taxas, com base no consentimento contratual dos telespectadores.

Também na reunião do comitê de 16 de outubro, a NHK solicitou que o corpo considerasse a recomendação de revisões legais, tornando obrigatório que as pessoas relatassem formalmente qualquer TV recém-adquirida.

A emissora também pediu mudanças legais que permitiriam o acesso a dados pessoais mantidos por empresas de serviços públicos, incluindo nomes de residentes e mudanças de endereço de domicílios sem um contrato de taxa da NHK.

MAIS RECEITA

Ambas as solicitações têm como objetivo aumentar o número de contratos e receitas e cortar custos, já que o sistema de cobrança de taxas, incluindo o pagamento de cobradores de porta em porta, chegou a 75,9 bilhões de ienes (cerca de US $ 720 milhões) no ano fiscal de 2019.

O ministério explicou que sua sugestão seria realizada por meio de uma mudança na Lei de Radiodifusão que deixaria claro que “há uma responsabilidade de pagar a taxa de recepção (NHK) sob um contrato legal” por parte da pessoa que obtém uma televisão.

Além disso, o ministério buscou a deliberação de uma mudança legal para impor taxas extras a quem deixar de relatar a compra de uma TV e, assim, fugir da taxa, juntamente com as discussões sobre o pedido da NHK para exigir que as famílias relatem a propriedade de televisores.

A emissora também deseja que o comitê considere a recomendação de relatórios obrigatórios para famílias que também não têm TV.

PRIVACIDADE VIOLADA 

Os especialistas vão agora debater as propostas, mas alguns membros já expressaram cautela em 16 de outubro sobre a criação de uma obrigação legal explícita de pagar a taxa da NHK.

Além disso, alguns membros do comitê expressaram privacidade pessoal e outras preocupações com a proposta da NHK de dar autoridade legal para solicitar aos serviços públicos e governos locais informações em relação a pessoas sem contrato com a NHK.

Em relação à exigência do ministério das comunicações de que a NHK reduza a taxa de recepção, a emissora também exigiu uma revisão da portaria ministerial pertinente para permitir que ele acumule excedentes de cada ano fiscal em uma conta separada e use-o para financiar futuras reduções de taxas.

Também buscou revisões legais para permitir a criação de holdings intermediárias para facilitar fusões e simplificação das subsidiárias da emissora.

Fonte | Mainichi

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze − 5 =