A taxa de aprovação do gabinete do primeiro-ministro do Japão Yoshihide Suga caiu 5,9 pontos percentuais em relação ao mês passado para 60,5%, segundo uma pesquisa da Kyodo News no domingo (18).

A pesquisa, conduzida no fim de semana, mostrou que 72,7% dos entrevistados acreditam que Suga não forneceu uma explicação suficiente sobre sua rejeição a seis acadêmicos de ingressarem no Conselho de Ciência do Japão, um painel consultivo do governo.

Muitos estudiosos condenaram a mudança como um ataque à liberdade acadêmica.

O índice de reprovação do gabinete, lançado no mês passado, subiu 5,7 pontos, para 21,9%, mostrou também a pesquisa.

Da mesma forma, 16,1% disseram que Suga explicou totalmente sua decisão sobre os seis acadêmicos que criticaram as leis de segurança e anti-conspiração promulgadas por seu antecessor, o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe.

A imagem do novo Gabinete piorou devido à polêmica sobre questões envolvendo o conselho, um órgão consultivo que representa a comunidade científica do Japão e faz recomendações independentemente do governo.

Enquanto isso, 72,9% dos entrevistados disseram que se sentem preocupados com suas vidas devido à pandemia do coronavírus, de acordo com a pesquisa.

A pesquisa, cobrindo 731 domicílios selecionados aleatoriamente com eleitores elegíveis e 1.239 números de telefone celular, rendeu respostas de 505 e 506 pessoas, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 + 12 =