A recuperação econômica do Japão no último trimestre repôs apenas cerca de metade do crescimento perdido durante os estágios iniciais da pandemia, dados oficiais devem mostrar na segunda-feira (19).

Economistas viram o Produto Interno Bruto (PIB) saltando a um ritmo anualizado de 18,9% nos três meses até setembro, ajudado pela melhora do comércio com os Estados Unidos e a China, um retorno da indústria automobilística e o maior aumento nos gastos das famílias desde o início do milênio.

Esse seria o maior surto de crescimento desde 1968, segundo o jornal The Japan Times.

Mas, segundo analistas, levará três anos para que o PIB recupere seu pico antes do Covid-19 e do aumento do imposto sobre vendas em 2019, de acordo com o economista Yoshimasa Maruyama da SMBC Nikko Securities.

A economia do país no período abril-junho encolheu 27,8% anualizado em termos reais em relação ao trimestre anterior.

A preocupação de que a recuperação perderá força sem mais ajuda governamental obrigou o primeiro-ministro Yoshihide Suga a pedir um terceiro orçamento suplementar.

Novos gastos irão aumentar a montanha de dívida do Japão, mas são vistos como necessários com o impacto do enfraquecimento das medidas existentes e novas ondas de vírus na Europa e nos EUA, colocando em risco uma melhoria nas exportações.

Os casos de vírus também estão aumentando novamente no Japão , gerando preocupação de que uma ação mais dura seja necessária, apesar do relativo sucesso do país em conter a epidemia. Restrições voluntárias renovadas podem esfriar rapidamente o aumento nos gastos do consumidor.

As empresas também não devem aumentar os gastos com uma perspectiva tão incerta, mesmo em meio às esperanças de uma vacina precoce. Economistas estimam que os gastos de capital caíram 2,9% em uma base não anualizada em relação ao período de abril a junho, quando caiu 4,7%. O investimento está se tornando apenas ligeiramente positivo neste trimestre.

Os gastos das empresas foram um importante suporte para a economia antes da pandemia, tornando a recuperação do apetite por investimentos da diretoria um fator-chave para a velocidade da recuperação do Japão.

Os gastos com sistemas de trabalho em casa necessários durante a pandemia ajudaram até agora a evitar um enfraquecimento ainda maior dos gastos de capital.

As interrupções nas cadeias de abastecimento durante a crise, além da guerra comercial em curso entre os EUA e a China, também criaram um incentivo para que alguns gastos tornassem a produção mais resistente a choques.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez + seis =