O governo japonês não planeja pedir que escolas fechem, apesar do recente aumento nacional de novas infecções diárias por coronavírus para níveis recordes, disse o ministro da Educação na terça-feira (25).

“Neste ponto, não estamos considerando um pedido (para que todas as escolas sejam fechadas)”, disse Koichi Hagiuda, ministro da Educação, em uma entrevista coletiva.

Hagiuda pediu às escolas que exerçam “vigilância máxima”, já que o número de casos diários de coronavírus no Japão ultrapassou 2.000 pelo quinto dia consecutivo no domingo (22).

Ele disse que o Ministério da Educação revisará em breve as diretrizes para garantir que as escolas instituam medidas preventivas, incluindo ventilação adequada no inverno, já que os especialistas atribuíram as recentes crises ao frio que levou as pessoas a passarem mais tempo em ambientes fechados em estruturas sem fluxo de ar suficiente.

Hagiuda disse que os exames de admissão universitários padronizados do Japão serão realizados em janeiro conforme programado e que ele pediu aos representantes das universidades que tomem medidas completas contra o vírus.

No final de fevereiro, o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe pediu a todas as escolas primárias, secundárias e secundárias que fechassem temporariamente devido a um aumento nos casos de coronavírus, um movimento abrupto que gerou confusão entre alunos, pais e instituições educacionais.

O fechamento de muitas escolas durou até o final de maio, quando o governo suspendeu completamente a declaração de estado de emergência sobre o vírus.

Fonte | Kyodo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito + quinze =