A Câmara dos Deputados do Japão aprovou na terça-feira (2) um projeto de orçamento de 106,61 trilhões de ienes (US $ 1 trilhão) para o ano fiscal de 2021: o maior de todos os tempos.

O montante inclui grande parcela de gastos em contramedidas contra o coronavírus, somada aos enormes custos de bem-estar e defesa. O orçamento deverá estar totalmente aprovado até 1º de abril.

É o nono ano consecutivo em que o governo compila um orçamento inicial recorde e o terceiro ano consecutivo em que o valor ultrapassa 100 trilhões de ienes.

Os desembolsos e as emissões de dívidas relacionadas devem piorar ainda mais a saúde fiscal do Japão – a pior entre os principais países desenvolvidos.

Mais de um terço do orçamento, ou um recorde de 35,84 trilhões de ienes, será gasto em serviços de seguridade social para o rápido envelhecimento da população japonesa.

Os gastos com defesa totalizaram 5,34 trilhões de ienes, atingindo um recorde pelo sétimo ano consecutivo, enquanto o Japão busca aumentar suas capacidades em novos domínios, como o ciberespaço e o espaço sideral.

Os gastos com segurança nacional incluem 33,5 bilhões de ienes para o desenvolvimento de mísseis standoff fabricados no Japão, capazes de atacar navios inimigos de fora de seu alcance de tiro, em uma tentativa de conter a crescente invasão marítima da China.

O orçamento também ajudará a financiar medidas para mitigar as consequências econômicas da pandemia, que pesou sobre os gastos das famílias e deixou muitas empresas lutando para manter as folhas de pagamento, apesar da queda dos rendimentos.

Conforme informou a agência de notícias Kyodo, o governo separou 5 trilhões de ienes em fundos de reserva que provavelmente serão gastos em respostas futuras à crise de saúde e qualquer desaceleração econômica subsequente. Os fundos podem ser gastos sem mais aprovação do parlamento.

As novas emissões de títulos para financiar o orçamento totalizarão 43,60 trilhões de ienes, aumentando a taxa de dependência da dívida de 31,7% para 40,9% sob o orçamento inicial para o ano fiscal de 2020.

O saldo em aberto da dívida do governo estadual e local no Japão ultrapassou 1.100 trilhões de ienes, ou bem mais de 200% do PIB (produto interno bruto), no final do ano fiscal de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui