Uma tempestade de poeira amarela está cobrindo grande parte do território japonês desde segunda-feira (29).

Para piorar a situação, partículas de poluição com diâmetro inferior a 2,5 micrômetros (chamadas PM2.5) também estão vindo da China, segundo a Associação de Meteorologia do Japão.

O Observatório Meteorológico de Nagasaki anunciou que a concentração de partículas PM2.5 aumentou para 74 microgramas por metro cúbico de ar na área de Tsushima e a província emitiu um alerta, o primeiro desde março de 2018.

O Ministério da Saúde do Japão tem como limite de poluição a concentração de 70 microgramas por metro cúbico de ar.

As autoridades aconselham a não estender roupas fora de casa nos próximos dias e pessoas com doenças respiratórias ou alergia a pólen devem evitar saídas para não terem os sintomas agravados.

Poeira amarela x PM 2.5
A poeira amarela (kousa, 黄砂), também chamada de “pó asiático”, tem origem natural e é formada por pequenas partículas de areia dos desertos da China e da Mongólia carregadas pelo vento.

Mas as partículas PM2.5 (sigla em inglês para particulate matter, ou material particulado) podem ser mais nocivas para a saúde porque são resultado da poluição causada pelo homem, como a queima de combustíveis fósseis.

Situação na China
FOREIGN201803281529000054300523315 - Poeira amarela e poluição PM2.5 da China atingem Japão, partículas podem ser mais nocivas
Tempestade de areia cobre norte da China com manto de poeira | Foto: Diário do Povo Online

A capital da China, Pequim, lançou nesta segunda-feira uma campanha de um mês para acabar com as violações da poluição do ar, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Embora fatores externos, como a poeira amarela, tenham sido responsabilizados pelas condições, as autoridades de Pequim realizarão inspeções em todos os canteiros de obras locais até o final de abril.

A ação pretende reprimir severamente as violações, como permitir a saída de poeira da construção e eliminação pontual de resíduos, disse a agência de notícias.

Até agora, em 2021, o número de violações da poluição do ar investigadas e tratadas pelo departamento de aplicação da lei de gestão urbana de Pequim aumentou 30%, para 4.791 casos.

Fonte | Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui