Como você provavelmente já sabe, a maioria das escolas secundárias japonesas exige que seus alunos usem uniforme escolar.

O visual padrão de calças sociais ou saia plissada com camisa de botão, gravata ou fita e um blazer com o logotipo da escola tornou-se uma parte tão onipresente da vida escolar japonesa que seria quase errado se os alunos não usasse o uniforme.

Porém, alguns discordam. Uma coalizão de estudantes, professores e advogados criaram uma petição para dar aos alunos o direito de escolher se querem ou não usar uniforme para ir à escola, e eles conseguiram quase 19.000 assinaturas em apoio à causa.

A petição, que é intitulada, “Você é livre para escolher não usar uniforme em sua escola?” foi criado por um professor na província de Gifu, e é apoiado não apenas por alunos e outros professores, mas também por advogados, cadeiras educacionais locais, empresários e ativistas.

A petição foi entregue ao Ministério da Educação do Japão em 26 de março.

O professor resolveu criar a petição quando percebeu que os uniformes escolares não parecem afetar o comportamento dos alunos.

Desde junho de 2020, os alunos da escola onde o professor leciona, podem usar seus uniformes ou roupas casuais para ir à escola por causa da pandemia, numa tentativa de evitar que o vírus se acumule no tecido.

Como resultado, metade dos alunos está usando seus uniformes e a outra metade, suas roupas normais.

E, apesar na mudança das veestimentas, não surgiram novos problemas em sua escola . Pelo contrário, parece que a nova sensação de liberdade que os alunos têm agora que podem escolher suas roupas resultou em um ambiente escolar um pouco mais confortável.

uniform petition3 - Petição para permitir que os alunos escolham o que vestir na escola reúne quase 19 mil assinaturasÉ por isso que o professor começou esta petição; porque ele acredita que as escolas japonesas têm muitas regras que são excessivamente restritivas do comportamento dos alunos e que são prejudiciais à saúde mental dos alunos.

Regras como a estipulação de que os alunos devem usar roupa íntima branca, ou que eles não podem namorar ou ter empregos de meio período, ou que eles não podem fazer tranças ou tingir o cabelo são desnecessárias, afirmou o professor.

De acordo com uma pesquisa conduzida pelo Ministério da Educação, regras escolares rígidas como essas foram o motivo de 5.500 crianças não irem à escola em 2019.

“Como profissional da educação”, disse o professor autor da petição, “é difícil ouvir que há alunos sendo prejudicados por essas regras e que alguns alunos estão perdendo oportunidades de aprender por causa delas”.

Os uniformes também são extremamente caros e, claro, não podemos esquecer a fetichização dos uniformes escolares que torna as alunas alvo de pervertidos.

Mas, como você pode ver pelo título da petição, não defende a abolição total dos uniformes; em vez disso, oferece a liberdade de escolha.

A petição ao governo quer permitir que os alunos escolham se querem usar uniforme ou suas roupas do dia a dia; para que os alunos tenham a liberdade de decidir o que querem vestir e não se sintam estressados ​​o suficiente para perder os estudos porque não gostam, não podem pagar ou não podem vestir o que são forçados para vestir .

A petição da Change.org foi submetida ao Ministério da Educação em 26 de março com 18.888 assinaturas, mas ainda está aberta ao público para assinatura.

O Ministério ainda não emitiu uma resposta oficial, então teremos que esperar e ver como esta petição será recebida, mas espero que haja mudanças no futuro para as escolas japonesas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui