O governo japonês ordenou que o provedor de aplicativos de mensagens Line Corp. tome medidas para proteger adequadamente as informações dos clientes.

Tal solicitação ocorreu nesta segunda-feira (26) após alguns dados terem sido considerados acessíveis por uma afiliada chinesa sem o consentimento do usuário.

A orientação administrativa, que também exige um relatório da Line até o final de maio, foi emitida quando o Ministério das Comunicações e Assuntos Internos julgou que o operador do aplicativo falhou em fornecer um sistema de vigilância suficiente para proteger os “segredos das comunicações”, conforme exigido por lei.

A empresa disse em um comunicado que leva a sério a ordem do governo e prometeu “reconquistar a confiança dos usuários implementando as reformas apropriadas”.

A mudança veio depois que a Line, usada por mais de 86 milhões dos cerca de 126 milhões de japoneses, disse no mês passado que as informações pessoais dos usuários estavam acessíveis a técnicos de sua afiliada chinesa.

Fonte | Kyodo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui